Ranking de Vendas de Mangás do Japão: de 28 de Novembro a 4 de Dezembro

oricon-28-novembro-4-dezembroGente, como Haikyuu não veio para o Brasil ainda?

E olha a gente aqui! Na última semana, ao invés do ranking semana, publicamos a lista dos mangás mais vendidos de 2016. Se ainda não viu, dê uma conferida clicando na imagem abaixo.

mais-vendidos-2016

Para os que já viram, continuamos aqui com a lista desta semana – com um pequeno desabafo antes dos comentários habituais. Novamente, obrigado a todos que gostaram da nossa nova tabelinha. Estamos cada vez mais tentando implementar essas novidades para vocês, tornando a leitura e a experiência ainda melhor para todos. Deixem suas ideias para as próximas semanas e não deixem de acompanhar as novidades que irão surgir no Chuva de Nanquim!


Rank Título Vendas
Semana Total
1 Haikyuu!! 24 282,363 282,363
2 One Punch-Man 12 245,163 245,163
3 Cardcaptor Sakura: Clear Card-hen 1 147,750 147,750
4 World Trigger 17 133,843 133,843
5 Boruto: Naruto Next Generations 2 116,905 116,905
6 Tensei shitara Slime Datta Ken 3 113,294 113,294
7 Horimiya 10 109,332 163,026
8 Dakaretai Otoko 1-i ni Odosarete Imasu. 3 93,043 93,043
9 To LOVE-ru Darkness 17 87,314 87,314
10 Toaru Kagaku no Railgun 12 82,988 124,965
11 Toriko 42 81,552 81,552
12 Aoki Hagane no Arpeggio 13 76,408 76,408
13 Hataraku Saibou 4 72,313 72,313
14 Kinnikuman 57 60,120 60,120
15 Black Clover 9 59,814 59,814
16 Yuragisou no Yuuna-san 4 57,655 57,655
17 Hoozuki no Reitetsu 23 57,510 196,262
18 Dragon Ball Super 2 56,947 56,947
19 Magi 31 54,180 351,983
20 One Piece 83 53,453 2,435,076
21 Terra Formars 19  52,188  355,991
22 Sousei no Onmyouji  10 42,403 42,403
23 Dame na Watashi ni Koi shite Kudasai  10 39,745 81,017
24  Hidamari Sketch  9 38,593  67,358
25 Gallery Fake 33 36,997  36,997
26 Major 2nd 7 35,584 212,997
27 Fairy Tail 58 33,453 250,075
28 HanaDan Next Season 5 30,878  30,878
29 12-sai. 10  29,180 29,180
30 Golden Kamuy  9 27,546 190,039
31 Kuroko no Basket: Replace Plus 5 26,375 26,375
32 The Promised Neverland 1 24,380 24,380
33 Magi: Sinbad no Bouken 11 24,276 166,465
34 Genshiken 21 24,145 101,595
35 Asahinagu 21 23,293 23,293
36 Himouto! Umaru-chan 9 22,936 147,743
37 Short Cake Cake 4 22,611 48,604
38 Kimetsu no Yaiba 4 21,815 21,815
39 Arslan Senki 6 21,158 359,915
40 To LOVE-ru Darkness – Limited Edition 17 20,158 20,158
41 Jigoku Sensei Nube Neo 8 19,833 19,833
42 Kumo desu ga, Nani ka? 2 19,731 19,731
43 Clover trefle 7 19,663 38,429
44 Mogura no Uta 51 18,766 18,766
45 Sesuji wo Pin! to 8 18,543 18,543
46 CCS: Clear Card-hen – Limited Edition 1 18,386 18,386
47 Fate/kaleid liner Prisma☆Illya 3rei!! 8 18,368 53,810
48 Toaru Majutsu no Index 18 17,882 58,608
49 Mogura no Uta Gaiden: Papillon Dance 7 17,534 17,534
50 Fire Punch 3 16,973 16,973

Eu gostaria de começar esse ranking com um desabafo: não é possível que nenhuma editora ainda tenha dúvidas sobre o sucesso de Haikyuu. Não é possível que o pensamento das pessoas que escolhem títulos para o mercado seja tão mirrado que tenha qualquer tipo de “restrição” por Haikyuu ser um mangá de esporte, pelo histórico de títulos que nada tem a ver com a obra, ou por puro preconceito. Porque se não for “shounen de porradinha”, não serve. E não é de hoje. Fazem mais de 3 anos que Haikyuu segue firme entre os mangás mais vendidos, entre os animes mais comentados e assistidos, entre as séries com mais fãs surgindo com uma velocidade absurdamente assustadora. Com todo o respeito, muito mais do que 80% dos títulos que foram lançados no Brasil recentemente. Qual o motivo pra simplesmente ignorar a presença deste mangá? Não dá pra explicar. Se alguém, de alguma editora, estiver lendo isso, por favor nos ajude. Nos responda isso pois é, realmente, revoltante.

Enfim, agora voltamos ao ritmo normal. E vamos começar o ranking da semana falando de Haikyuu!, que com apenas 2 dias de vendas já vendeu quase 300 mil unidades. Um absurdo e um sucesso que não se discute. Não tem mangá de futebol, de basquete, de baseball, de taco ou qualquer outro esporte que consiga fazer isso. Curioso pra ver a série alcançando suas 600/700 mil unidades na segunda semana, ainda mais depois de um episódio maravilhoso e sensacional em sua terceira temporada.

Falando em sucesso, temos outro exemplo com One-Punch Man, que vem coladinho com cerca de 250 mil unidades. Diferente de Haikyuu, One-Punch Man é um sucesso aqui no Brasil também – e provavelmente em todos os países onde é lançado.  O mangá agora conta com 12 volumes e deve ganhar um novo boost no próximo ano com a segunda temporada do anime. MadHouse faz milagre no que já é bom, e torna qualquer anime ainda mais empolgante.

Na terceira colocação temos ela. Nossa musa. Nossa princesa. Nossa rainha. A que pisa. A que mete o báculo na sua cabeça e te faz ficar tonto de amor por ela. Sim, estamos falando do melhor mangá do CLAMP que retorna em uma continuação (desnecessária?) em Cardcaptor Sakura: Clear Card-hen. O lançamento do primeiro volume mostra a força de Sakura mesmo depois de tantos anos. São quase 150 mil unidades vendidas logo na primeira semana, isso sem falar na edição limitada que soma mais 20 mil unidades nesta conta. Quem nasceu pra ser [censurado para evitar tretas] jamais será Sakura. Paciência, queridas.

Completando o top 5, temos uma surpresa: ele que sempre foi o patinho feio da revista, parece que vem se firmando cada vez mais com o passar de seus volumes. Em apenas 2 dias, World Trigger aparece com mais de 130 mil unidades vendidas, mais do que o quinto colocado – Boruto, continuação de Naruto, o que já demonstra uma coisa realmente notável aqui. World Trigger é um mangá que não inventa demais e entrega uma história realmente gostosa de se acompanhar. Com o fim do anime, o mangá parece ter ganhado um boost ainda maior – um fato bastante curioso. Já Boruto beira os 120 mil volumes, e mostra que a franquia também tem força de sobra, mesmo com um mangá que não é feito pelo próprio autor.

O top 10 é completo por algumas obras bem peculiares. Publicado na Shounen Sirius, o sexto colocado é o “desconhecido” Tensei shitara Slime Datta Ken, mangá extremamente bonito que foi baseado em uma web novel de sucesso no Japão. Com mais de 100 mil cópias, a obra chega forte no lançamento deste terceiro volume. Um número bem considerável para uma série que não tem anime e de uma revista que não costuma revelar grandes hits. Já o sétimo é um pouco mais conhecido: Horimiya se mantém da última semana e já soma 160 mil unidades em seu décimo volume. Em oitavo temos um yaoi (!!), algo raro de se ver vendendo tão bem, e mais raro ainda quando estamos falando de uma série de apenas 3 volumes. Dakaretai Otoko 1-i ni Odosarete Imasu. tem quase 100 mil cópias vendidas – mais do que o conhecido nono colocado, To LOVE-ru Darkness, que já chega em seu décimo sétimo volume (pelamor, vamos acabar isso) com 90 mil unidades – e mais 20 mil de sua edição limitada. Mesmo valor, aproximadamente, do mangá de To aru Kagaku no Railgun, que soma 120 mil em duas semanas.

Hora de finalizar com os comentários pontuais de algumas séries:

  • Toriko vai se despedindo de forma bem melancólica. O mangá que um dia já foi hit, fica de fora até do top 10 neste lançamento. Tudo bem que são apenas 2 dias de vendas, mas ver ele vendendo praticamente metade de World Trigger, que já foi um figurante, é bem decepcionante.
  • A Jump trabalha forte para que Black Clover se torne um hit. E talvez consiga nos próximos meses, mas por enquanto segue apenas como uma série mediana. No aguardo da segunda semana, o mangá vendeu apenas 60 mil unidades em dois dias. A expectativa da revista é que esse número dobre nos lançamentos da obra. Provavelmente buscando um “parceiro ideal” para Boku no Hero Academia nessa nova fase da publicação.
  • Mesmo com todas as críticas, Dragon Ball Super aparece no meio da tabela com cerca de 60 mil unidades. Passa longe do sucesso da série clássica, mas também não é algo absurdo vindo de um mangá que nem ao menos é feito pelo Akira Toriyama. O fato de ser uma série bem resumida comparada ao anime acaba desanimando as pessoas a encararem a coleção.
  • Tem um tal de One Piece aqui com 2 milhões e meio vendidos. Mas podem pular esse.
  • Nem seu anime com muitos episódios acabou servindo para um grande boost de Twin Star Exorcists. E nem acho demérito do mangá – que é bem divertidinho. Talvez o problema seja o inchaço de mangás desse gênero, que causa um cansaço do público em relação a obras assim. Não duvido de aparecer no Brasil em algum momento.
  • The Promised Neverland é provavelmente o lançamento mais aguardado por mim desta semana. Seu primeiro volume teve tiragem de 100 mil no Japão, e nos primeiros dois dias tivemos 20 mil unidades vendidas. A expectativa dos “analistas” é que o mangá venda até 80 mil unidades, o que seria um dos melhores lançamentos da Jump nos últimos anos. Torcendo pelo sucesso da série e de olho no ranking desta semana.
  • Arslan Senki soma quase 360 mil unidades vendidas em seu volume 6. Se a série tivesse uma regularidade maior em seus lançamentos, com certeza apareceria entre os mangás mais vendidos na lista de 2016. Arakawa é Midas, sempre disse isso.
  • Apesar de já estar em seu volume 8, Sesuji wo Pin! to vende apenas 20 mil em dois dias. E estamos falando de um mangá da Jump. É um valor baixíssimo, e isso pode contar muito para um futuro cancelamento da obra que é MUITO legal. O mangá vai tomando o mesmo caminho de Hiromaru Zumou.
Anúncios

10 Comentários

Arquivado em Mangás, Ranking Oricon

10 Respostas para “Ranking de Vendas de Mangás do Japão: de 28 de Novembro a 4 de Dezembro

  1. Ricardo

    Ué e você pergunta para nós pq Haikyuu não é publicado no Brasil? Não é você que trabalha em editora Dih? Conta pra gente isso ai.

    Curtir

    • Dih

      Se eu tivesse opção de escolher títulos… Sou apenas um assistente. O resto é com a galera de cima.

      Curtir

      • Deixe-me tentar explicar: São os Próprios Editores Japoneses (no caso, a Shueisha) que, em negociação com quem está comprando (No caso, ou a Panini, ou a JBC ou a NewPOP), decidem se vale a pena investir o Título num país ou não. No caso de Streaming, ocorre por conta de um mesmo produto (no caso, a série animada) ser exibido em vários países ao mesmo tempo, claro havendo exceções…
        Infelizmente, é muito mais complexo e arriscado trazer um título totalmente novo para nosso país, devido a crises econômicas e evitação de riscos.

        Ou posso estar errado também…

        Curtir

  2. Rumi

    o que sustenta o sucesso de hq!! no japão é o enorme público feminino q a série tem e q aumentou com o anime. hq!! é tipo o one direction japones kk. sem isso ñ sei se venderia tanto. então é normal esse receio de lançar aqui. mas ficamos na torcida.

    Curtir

  3. Ouvi dizer que a JBC é a que tem mais preconceito com mangás de esporte por achar que eles não vendem, não sei se é verdade e nem quero me aprofundar nisso, mas é uma pena que só porque Haikyuu é “de esporte” que há essa recusa. Nem Days, que é de futebol (onde por aqui há muito amor, sendo o “País do Futebol”) veio pra cá e não vi nenhuma editora demonstrar interesse. Ok, Days pode não ser campeão de vendas, mas poxa, mangás de esporte são bons, não entendo pra quê o preconceito todo.
    “Sim, estamos falando do melhor mangá do CLAMP que retorna em uma continuação (desnecessária?) em Cardcaptor Sakura: Clear Card-hen.” Desnecessária pra pessoas como eu, pra quem curtiu o retorno, ok. Mas eu não gostei, pra mim Sakura podia ter ficado como estava antes.
    “Nem seu anime com muitos episódios acabou servindo para um grande boost de Twin Star Exorcists. E nem acho demérito do mangá – que é bem divertidinho. Talvez o problema seja o inchaço de mangás desse gênero, que causa um cansaço do público em relação a obras assim.” É, até porque não tem como não comparar com Ao no Exorcist, Bleach e outros shonens. Sousei é divertido, MAS passa longe de ser genial, e o anime não consegue ter nem metade do carisma do mangá.

    Curtir

  4. silver

    Eu também acho estranho haikyuu não ter dado as caras aqui no brasil ainda, não acho que deve ser o principal motivo, mas com certeza deve ter algum tipo de preconceito no meio. Quem já viu os principais animes de esporte sabe que são muito bem feitos e realistas, muito mais que seu primo shounen. Outro caso é gintama, manga e anime fazem muito sucesso e nada de alguma editora ter alguma coragem de falar algo, só dão desculpas. Aposto que se fosse um mangá só de lutas já estava sendo publicado há um bom tempo.

    Curtir

  5. cherubim

    não pode pq eles estão muito ocupados para lançar o sensacional ninja slayer ou quem sabe o otimo arakawa, se podem lançarem títulos do tipo pq não hakyiiu naquela qualidade de slam dunk, pq é um mangá cheio de detalhes e precisava ser lançado numa qualiidade boa, o kuroko perde muita qualidade no papel jornal, tem mais a cara da panini esse mangá…

    Curtir

  6. tsuneo011

    Black Clover vai precisar mudar muito para virar um hit… Apesar das cenas de luta até animarem um pouco a história é “basica” demais…

    Curtir

  7. Ragna

    Esse site não gosta de One Piece kkkk, toda matéria é esse descaso mas não adianta, é o primeiro é merecido por várias razões goste ou não.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s