Mulher sabe fazer shounen! – Parte 2

Segunda parte e final da matéria mostrando que mulher é boa quando o assunto é mangá.

A primeira parte da matéria foi um sucesso, e apesar do tempo que passou, não poderíamos deixar para trás a segunda parte. “Mulher sabe fazer shounen!” provou que apesar do preconceito, muitas pessoas nem ao menos sabem quem são os autores de suas obras favoritas. Nomes como Arakawa e Akira Amano são incógnitas para muitos, mas depois de ouvirem “Fullmetal Alchemist” e “Reborn!”, automaticamente você entende que muitas das obras “populares” são feitas por mulheres e com maestria.

Nessa segunda parte, 7 autoras novas para vocês descobrirem que não são “eles”. Obras que com certeza você já ouviu falar e que com certeza ainda vai ouvir falar de suas autoras mais vezes no futuro. Então chega de enrolação e vamos conferir as “indicadas” dessa vez. Se você não conferiu a Parte 1, clique AQUI.

D.Gray-Man

de Katsura Hoshino

Quando falamos de shounen escritos por mulheres, também não podemos deixar de fora D.Gray-Man. Além de já fazer parte do escalão dos mais vendidos da Jump, D.Gray-Man conquistou um fandom muito grande em seu auge, principalmente quando ganhou um anime que rendeu mais de 100 episódios e ainda ganhou o toque do T.M.Revolution. A nossa tia Hoshino publicou durante muito tempo na revista semanal da Shueisha, mas devido a doenças (que nunca sabemos ao certo qual é, mas que especula-se que seja algo bem grave) acabou sendo transferida para a mensal Square. O mangá caiu um pouco nas vendas, mas Hoshino consegue ter um traço cada vez mais belo em sua obra, e, aparentemente ganhou mais liberdade para liberar o seu lado “fangirl” na série.

InuYasha

de Rumiko Takahashi

Chega a ser injusto colocar a Rumiko Takahashi no meio dessa lista. Podemos dizer que ela é uma “mãe” pra os shounens. Ela é provavelmente a maior autora do gênero e de maiores obras de sucesso também. InuYasha, que é o nosso exemplo, provavelmente é o título mais famoso da autora por aqui devo a exibição do anime e mangá lançado durante a década de 2000. Mas não podemos tirar da lista obras como Ranma ½, Urusei Yatsura e o atual Rin’ne, todos saindo das páginas da Shounen Sunday e a tornando uma espécie de mentora para diversos artistas do gênero. Isso sem falar que ela está na lista das artistas mais bem pagas do Japão e bem… não há motivos para sequer pensar que ela não tenha sido importante para os quadrinhos lá. Alguns inclusive consideram Urusei Yatsura como um marco para o ecchi. Então agradeçam à tiazinha!

100% Morango

de Mizuki Kawashita

Quando algumas pessoas ficam sabendo que a autora de tantos mangás ecchi é na verdade uma mulher, muitos olham tortos ou desconfiam de tais informações. Ichigo 100% e Hatsukoi Limited são exemplos de mangás de mangás ecchi que saíram das páginas da Shounen Jump – o primeiro com um sucesso ainda maior, ganhando 19 volumes encadernados (que estão sendo publicados no Brasil pela Panini) e um anime de 13 episódios. A série conquistou uma grande fama em pouco tempo, rendendo à autora sempre algum trabalho por lá na Shueisha. Embora Morango não tenha sido um sucesso de vendas no Brasil, é inegável que a série se tornou bem conhecida por aqui, e inclusive chegou a ser muito pedida pelos fãs. Um dos destaques dos mangás de Kawashita, é que apesar do nível de cenas “picantes”, os romances são sempre muito explorados (por mais que se apaixonar por um pirulito, como em Hatsukoi, seja bizarro) e isso acaba sendo sua marca registrada.

Saint Seiya Lost Canvas

de Shiori Teshirogi

Eu me recuso a acreditar que Lost Canvas tenha sido sequer pensado por Masami Kurumada. A série é considerada por muitos o melhor mangá dos Cavaleiros dos Zodíaco e por trás de tudo existe um nome: Shiori Teshirogi. A autora que antes fez alguns shoujos de curta duração, conseguiu colocar em Lost Canvas um traço lindo e o que realmente os fãs da série dos cavaleiros buscam no título. Apesar de ser considerado “genérico” por alguns, não há de se negar que todos os capítulos da série foram feitos de uma forma muito dedicada, com um visual sempre muito belo e arrojado. Não a toa o mangá foi um sucesso que ganhou os “Gaiden”. Infelizmente o anime não teve o mesmo sucesso e foi cancelado pela TMS pelo baixo lucro obtido (é galera, Saint Seiya não é tão lucrativo no Japão quanto alguns pensam). De qualquer modo, não podemos deixar ela de fora. No fundo todos sabemos que Lost Canvas é dela. E só dela.

Ao no Exorcist

de Kazue Kato

Pense em um fenômeno recente que foi alavancado por um anime. Pensou. Certo, existem muitos título que podem ter aparecido em sua cabeça, mas nenhum com um sucesso tão estrondoso como Ao no Exorcist. Depois de seu anime de 25 episódios pelo estúdio A1-Pictures, o mangá tomou o posto de título mais vendido da Square e um dos mais vendidos atualmente da editora! E tudo isso também nas mãos de uma mulher chamada Kazue Kato. O mangá vem aos poucos conquistando diversas partes do mundo (chegou a entrar na lista dos mais vendidos dos Estados Unidos também) e alcançou um sucesso de proporções que ninguém imaginava. Diversos boatos diziam que a autora se mudaria para a Jump semanal, mas isso nunca se concretizou. Em partes, é um ótimo ponto, uma vez que o traço da autora é lindo e provavelmente ganharia um desgaste muito grande com a mudança de periodicidade.

Tsubasa ReservOir Chronicles

de CLAMP

Que as tias do CLAMP são conhecidas no mundo inteiro pelos seus belos traços e histórias que encantam legiões de fãs, por que não dizer que os shounens delas também sempre acabam ganhando grande destaque por onde passam? Está sendo assim com Gate 7 e claro, foi assim com Tsubasa ReservOir Chronicles, mangá que foi publicado na revista semanal Shounen Magazine. Apesar das autoras terem sido apedrejadas, terem seus nomes queimados na cruz e causado a convulsão de muitas pessoas com a trama do mangá, é inevitável dizer que esse foi um dos seus títulos mais marcantes, principalmente pelo fato de juntar tantos “mundos” de obras anteriores delas juntos. Afinal, vai me dizer que você não ficou todo em êxtase quando soube que a pequena Sakura Card Captor estaria de volta em uma série? Pois é, bem ou não, elas não são algumas das autoras mais conhecidas do mundo à toa.

Hikaru no Go

de Yumi Hotta

Para muitos, Takeshi Obata tem em Hikaru no Go o seu melhor mangá já feito, superando o já clássico Death Note e o recém-finalizado Bakuman. Porém há de se destacar que um nome foi o verdadeiro responsável pela história tão elogiada de Hikaru no Go: essa moça chamada Yumi Hotta foi a grande roteirista do mangá, e ao lado de Obata conseguiu um dos melhores mangás que já saíram nas páginas da Shounen Jump. Além de ter criado um roteiro que envolve e conquista leitores de todas as idades, Hotta conseguiu a magia de unir um esporte desconhecido do mundo – o Go – em uma série extremamente popular e elogiada. Para os que tiveram a oportunidade de ler o mangá em volumes (publicados por aqui no Brasil pela editora JBC) percebe pelos comentários esporádicos da autora, toda a dedicação que ela teve ao fazer esse título. No mínimo uma pesquisa intensa de regras, informações do jogo e tudo mais que com certeza levou-a à um desgaste impressionante. Espero um dia poder vê-la novamente em outra série, não concordam?

80 Comentários

Arquivado em Mangás, Matérias

80 Respostas para “Mulher sabe fazer shounen! – Parte 2

  1. Cristian

    Rumiko Takahashi é minha favorita, com certeza.

    Curtir

  2. Pseudonimo Slayer

    CLAMP, CLAMP eterna CLAMP. Conhecia todas as autoras citadas ai, com exceção da Yumi Hotta. Essa eu realmente não sabia que era uma mulher, apesar de também conhecer a obra. E uma ótima obra por sinal.

    Curtir

  3. csj

    podiam criar um post assim: “homem sabe fazer shoujo” xD
    não vale esses mangás cheio de fanservice, com “ecchi” pra todo lado.
    tem que ser um shoujo de verdade

    Curtir

  4. Pedro

    Takahashi e Arakawa são as melhores \o/

    HIkaru no Go e Canvas feitos por mulheres caraca ótima surpresa!
    Valew pelo post DIH

    Curtir

  5. nino.D leandro

    Tem muitas mulheres foda fazendo mangas mais entre elas sempre serei fã de (Yumi Hotta) pois pra mim os seus 3 grandes mangas Death Note, Bakuman e Hikaru no Go. São perfeições e nunca vi um mangaka fazer 3 series grandes com mais de 100 capitulos e grandes diferenças no tema, e ainda fazer um gigantesco sucesso.

    valeu pera materia pessoal do chuva de nanquim.

    Curtir

    • JR

      Yumi Hotta nunca fez death note e bakuman.
      so o desenhista de hikaru no go que desenhou todos os tres.

      Quem fez bakuman e Death Note foi o tsugumi Ohba.

      Curtir

      • se bem q suspeitasse que tsugumi Ohba seja um pseudonimo da hotta, sabia?

        mas ngm sabe se é verdade, mas é possivel como se ver em bakuman.

        Curtir

      • Yumi Hotta é uma das principais suspeitas de ser Ohba, junto com Hiroshi Gamou.
        Podemos ver várias semelhanças na narrativa das três obras, principalmente pelo uso de “batalhas” não convencionais, como o Go em Hikaru No Go, a “luta psicológica” de Death Note e a competição em popularidade nos mangás de Bakuman (Hikaru No Go aparece ao lado de Death Note e “A Lenda do Super-Herói” na coleção de mangás no estúdio de Muto Ashirogi). Claro que nada disso é confirmado.

        Curtir

  6. Geovana

    Fiquei surpresa com Ao no Exorcist, n sei pq…

    Curtir

  7. LordLorein

    Só tenho a dizer que Saint Seya Lost Canvas é um Spin Off melhor que a série original.

    Curtir

  8. O_O não sabia que quem fazia Ao no Exorcist era uma mulher! com certeza é um dos melhores shounens que já li, InuYasha tbm é muito bom, e saint seiya lost canvas… O MELHOR DE TODOS!! esse foi o melhor mangá do cavaleros do zodíaco 😄

    Curtir

    • Genki-Dama

      Cai da minha poltrona quando li que CDZ lost canvas não foi escrito pelo kurumada ia morrer sem saber dessa e soltei um palavrão bem alto quando li que o anime de Lost Canvas foi cancelado. Parece que por alguma razão os cdz só são populares aqui pela america latina mesmo.

      Curtir

      • Isso é graça do Dih, oficialmente e até onde se sabe, o roteiro de Lost Canvas é sim do Kurumada. Nunca vi nenhuma notícia oficial ou sequer boato com o mínimo de fundamento que dissesse que a Shiori Teshirogi foi a roteirista de Lost Canvas ou que ao menos desse palpite no rumo da história. Até que me mostrem o contrário, é puro fanboismo dizer que o roteiro de Lost Canvas não é do Masami Kurumada.

        Curtir

      • Dih

        Sim, foi como eu disse no post, “me recuso a acreditar que tenha o dedo do Kurumada”, mas não disse que o tio não está envolvido no projeto. Até porque a própria autora fala no volume 1 do mangá que foi convidada por ele e não sei o que mais.
        Só é triste saber que o roteiro tão bom de Lost Canvas seja do mesmo autor do horrendo Next Dimension. ):

        Curtir

      • Sabe que eu acho que é o contrário? Desenhar bem ele nunca vai conseguir, mas pense dessa forma, depois de duas décadas ele escreveu um roteiro melhor. É bom quando as pessoas melhoram, não é? Pior seria se fosse o contrário, primeiro o Lost Canvas depois a série original (que não é tão ruim quanto a pintam). Next Dimension, até pela (falta de) periodicidade, me parece mais o autor brincando de fazer fanfic de sua própria obra…

        Curtir

      • d415uk3

        Eu tinha lido em algum lugar q o Kurumada tinha dado o pontapé inicial em Lost Canvas e depois “largou” nas mãos da Shiori, enquanto ele se ocupava de Next Dimension… até pq não faz sentido ele criar duas histórias tão diferentes que originalmente se tratariam do mesmo momento.

        Curtir

      • Onde viu isso? O que não falta no mundo é boato.

        Curtir

      • d415uk3

        hum, eu não lembro direito. Tbm não lembro as exatas palavras… Mas pode ser boato sim. Oq não dá pra negar é q é um boato mais “verídico” do que o “relato oficial”, eu realmente duvido que o Kurumada criaria uma trama tão boa qnd a the LC… Li BT’X recentemente, e não achei um mangá ruim, mas o formato dos plots é idêntico ao do Saint Seiya, o ponto chave do Kurumada é a construção de backgrounds pra todos os personagens, inclusive os segundários

        Curtir

      • Só eu não acho a história de Lost Canvas toda essa maravilha? Para começo de conversa, sem a série original ninguém leria o Lost Canvas para sequer ter opinião, quanto mais gostar. Eu realmente gostaria de ouvir a opinião de alguém que lesse as séries na ordem inversa em que foram lançadas (ordem cronológica da história).

        Curtir

      • d415uk3

        hum, não tinha pensado nisso. Seria interessante conhecer alguém que viu Lost Canvas antes da Saga Clássica. hum… se não a história pelo menos em arte vc tem que concordar q LC dá um banho em SS neh

        Curtir

      • d415uk3

        e acho q vc está equivocada qnd diz “sem a série original ninguém leria LC” pq todas essas “sagas novas” são originalmente lançadas aqui no japão para trazer novos fãs e não para agradar os fãs antigos. É por isso q elas vem com inovações nos traços e tudo mais. É uma questão comercial, saint seiya perdeu muita força q a saga clássica tinha, aí começam a lançar linhas paralelas para atrair novos fãs para a franquia, então sim… provavelmente aqui no Japão MUITA gente leu LC antes de Saint Seiya, especialmente os mais jovens (já que SS aqui foi lançado na década de 80 se não me engano)

        Curtir

      • Eu também ouvi histórias de que Lost Canvas passou a ser escrita por ela, porém com a APROVAÇÃO do Kurumada.

        Tanto é que o Kurumada vez Next Dimension para contar da forma como ele queria.

        Mas a minha informação carece fontes.

        Curtir

  9. Jessie

    CLAMP é foda, isso é inegável. *—-*
    Quem diria que uma mulher fez o InuYasha. Eu não sabia disso. O.O Nem de Lost Canvas, nem de Hikaru no Go…
    Essas lindas merecem o sucesso e muito mais. *-* s2

    Curtir

  10. leoat12

    Fiquei surpreso com Ao no Exorcist, não fazia a miníma idéia de que fosse feito por uma mulher, é uma boa obra que tem alcançado um grande sucesso nos ultimos tempos.
    As outras autoras eu já conhecia e todas merecem os créditos pelas grandes séries que fizeram. De todas Yumi Hotta é a minha favorita, Hikaru no Go é um dos melhores mangás que já li.

    Curtir

  11. Rod43

    Gostei do post, é legal ver que mulheres têm se destacado bastante no mercado de mangás para garotos, com obras muito criativas e cativantes. Outros títulos de sucesso que poderiam ser incluídos nessa discussão são Code:Breaker, Pandora Hearts, Magi, Kuroshitsuji e Yankee-kun to Megane-chan.

    Curtir

  12. Desde o post anterior eu já estava cobrando a presença da Rumiko Takahashi e tinha certeza que ela seria citada aqui. Mas não posso deixar de ser chato e corrigir um dado sobre ela: Maison Ikkoku (disparado a minha obra preferida da autora) não é shonen, é seinen e foi publicado na Big Comic Spirits, outra antologia da mesma Shogakukan que publica a Shonen Sunday.

    Curtir

  13. Reicher

    Acho que a vantagens delas ao invés deles é os romances que são bem mais elaborados e interessantes, é uma nova roupagem para os shonens e é sempre bom ter essa variação

    Curtir

  14. Na boa, na minha humilde opinião, Lost Canvas é superior ao CDZ clássico, não que eu desgoste do clássico (muito pelo contrário) é que o lost canvas é tão emocionante e tão bem desenhado um pouco mais realista também…

    Curtir

  15. Hoshino já teve sua época de ouro, desde um tempo pra cá decaiu muito, muito mesmo, Inu Yasha começou bom e depois foi só enrolação, já Hikaru no Go é clássico já, quem leu sabe.

    Curtir

  16. Serie mesmo??Ao no exorcist é feito por uma mulher?Nunca me importei em saber o autor mais jurava que era homén,parabens pra mulher,kk.

    Curtir

  17. Sugiro um tema: autores de mangá que já morreram.

    Curtir

  18. Digo

    Lost Canvas, com certeza MELHOR QUE O CLASSICO, tudo tem coerência, empolga, não é chato, não enrola, e o traço da Shiori é lindo!!! Kurumada deveria aprender com ela isso sim. Pena que o anime não virou, pois também estava com uma produção muito bonita e gostosa de se ver!!! Para quem torce o nariz para os Gaiden, confesso que são maravilhosos, a estória do Albafica é fenomenal!!! Viva Shiori. Quanto a Clamp, Divas Ever, nem tem o que falar, a mulherada prova que tem o GIRL POWER e dominam todos os gêneros!!! o*

    Curtir

  19. Kawashita Mizuki é uma das minhas mangakás preferidas, uma pena que só Ichigo 100% conseguiu sucesso considerável. Como dito, ela sabe explorar os romances de forma mais profunda, enquanto os outros costumam só ficar no fanservice mesmo.

    Hatsukoi Limited tinha uma proposta muito interessante, não havendo protagonistas, cada história focando em personagens diferentes num verdadeiro “ecossistema” criado por ela. Não funcionou bem na shonen jump, mas fazer o quê. Ane Doki foi outro que podia ter sido e não foi. O mangá atual em que trabalha, G-maru Edition, é fanservice puro, bastante dispensável. Um desperdício.

    Curtir

  20. Loke

    Hoshino, Arakawa, Yellow, CLAMP´, Shiroe, Kazue e Yumi, No Mais

    Curtir

  21. Rayovac

    é de fato essas são obras muito grandes e de expressão feita por mulheres, realmente mostra como elas tem qualidade.

    Rayovac!

    Curtir

  22. Jonas

    sera que o tite kubo e mulher e nao a gente nao imaginava

    Curtir

  23. naiara

    Todos mangás que eu amo (tirando 100%morango). Sou fã apaixonada das obras da Katsura Hoshino, Rumiko Takahashi, CLAMP, Hiromu Arakawa, e da Akira Amano! Sem duvidas elas provam que mulheres sabem fazer shounen, e muito, muito bem.

    Curtir

  24. “Eu me recuso a acreditar que Lost Canvas tenha sido sequer pensado por Masami Kurumada.” CONCORDO!!! Episódio G é a mesma coisa – provavelmente o Kurumada apenas deu uma bizoiada e disse OK, mas não escreveu nada.

    E acho qeu vocÊs deveriam ter colocado Ranma 1/2 no lugar de Inu Yasha.

    Curtir

  25. thamy

    Rumiko!!!! a melhor!
    E com certeza Lost Canvas pertence a Shiori Teshirogi
    o traço é lindo, os personagens e a história são cativantes
    uma pena que o anime não tenha continuação tava muito bom…
    até meu pai ficou decepcionado quando soube que foi cancelado.
    Mas com toda certeza mulheres sabem fazer um ótimo shonen!!

    Curtir

  26. Aaaaah estou esperando anciosamente o dia em que anunciarão que Ao no Exorcist será lançado aqui no Brasil *-*
    E caramba Hikaru no Go melhor que Death Note, e até de Bakuman? Tenho que lê-lo até o fim logo, mas num sei não hein…

    Curtir

  27. Gostei da publicação…
    Conheco quase todos dessa lista exceto 1
    nao acompanho nenhum…porque to vendo Fairy Tail agora..to no epi 50..mais quando alcançar os atuais.quero ver..
    InuYasha..e ja q ele veio pro brasil devo acha-lo dublado..vou dublado mesmo…
    Ao no exorcist…
    e varios..outros…=D

    Curtir

  28. Eu ouvi duas histórias quanto ao cancelamento de Lost Canvas.
    O primeiro é o conhecido “Não deu o lucro esperado”.
    O segundo é de que, a equipe de animação tinha interesse the lançar LC como série de TV, onde a visibilidade seria maior, podendo assim receber maiores investimentos. Porém, sempre recusaram a série de TV, e de repente, decidem fazer Saint Seiya Omega para a TV. Daí LC que já não tinha todo o retorno esperado, e ainda por cima não conseguiu série de TV, sendo que Omega conseguiu, fez com que os produtores se irritassem e cancelacem o projeto.

    Lembrando, isso é referente à informações que eu lí, procurando na internet haverão várias informações sobre esse boato, mas não encontrei nenhum pronunciamento oficial.

    Curtir

    • Lost Canvas lançado como OVA só servia mesmo para promover o mangá. Fosse para a TV seria diferente, de fato. Mas não foi. Mas se fosse, iria num horário estranho para o público normal de CdZ (aquele que agora está assistindo Ômega). Lost Canvas é para fãs mais adultos. O mangá acabou, não havia qualquer razão para o anime continuar – e se havia um pingo de razão, ele deixou de existir quando Ômega foi lançado.

      Curtir

  29. Ane

    Completamente em choque que é uma mulher quem faz Ao no Exorcist. Não desconfiava mesmo. Será que alguém ainda tem alguma dúvida que mulher sabe fazer shounen, e MUITO BONS?

    Curtir

  30. Eduardo.W

    Eu já tava pensando WTF?? quando vi o nome de Yumi Hotta em Hikaru no Go, pensando que Takeshi Obata não tinha feito 🙂

    Curtir

  31. Nekomimi

    Minha autora preferida de mangá é a famosa Rumiko Takahashi. Desde que eu conheci pela primeira vez a série Urusei Yatsura (a partir da versão anime), venho acompanhando as suas obras com muito interesse. Se bem que, ultimamente, venho notando (é difícil para um fã da autora, como eu, admitir isso) um certo declínio da qualidade de suas obras, um certo desgaste podemos dizer assim. Se comparadas com a primeira série dela (Urusei Yatsura), as novas séries como Inuyasha e Kyoukai no Rinne parecem ter “perdido o gás”.
    Talvez ela poderia “dar um upgrade” na forma como cria as histórias, para recuperar parte da vitalidade destas. Ela poderia, por exemplo, se inspirar nas obras de Riichi Ueshiba, autor cujos mangás venho acompanhando também. Sua série atual, Nazo no Kanojo X, possui aquela vitalidade que Urusei Yatsura tinha no passado, só que mais atualizada. Ela poderia se inspirar na referida série para criar novas histórias.Poderia, inclusive, usar os elementos presentes nas séries daquele autor (não só a atual, mas também uma outra série anterior dele, a série Yume Tsukai) para a sua obra atual, Pelo menos na minha opinião como fã.

    Curtir

  32. Cara, sabe o que eu acho absurdo dessa matéria?
    É isso:

    “Mulher sabe fazer shounen!
    Segunda parte e final da matéria mostrando que mulher é boa quando o assunto é mangá.”

    Como se, para ser boa em mangá, mulheres tivessem que fazer obras voltadas ao público masculino.

    Curtir

    • Pseudonimo Slayer

      Pior…. agora que li de novo, soou bem machista mesmo. E se vc ler de qualquer jeito, pode ter uma interpretação ainda pior. Como se mulher SÓ fosse boa quando o assunto é manga. No mais, tenho ctz que essa nao foi a intenção do autor do post.

      Curtir

      • Jo.

        Acredito q ñ era intenção do Dih ser machista, mas pense bem: shounens por ser p público masculino acaba por se pensar q sempre são feitos por homens, tanto q muitos levam susto ao saber q algumas obras, na verdade, são feitas por uma mulher. Do mesmo jeito com os shoujos, de forma inversa (homens q escrevem shoujos – aliás, poderia ser um tema a ser mostrado aqui tbm :D)… Por mais q ñ aceitamos, há sim um preconceito, q certas atividades só podem ser feitas por mulheres, ou por homens..O próprio Dih ressaltou o drama de autoras serem reprimidas a divulgar seu sexo em suas publicações…

        Curtir

  33. Franco_kurosaki

    Tia Rumiko merece meu respeito mesmo Inuyasha sendo enrolação pura.Mas Ranma e Urusei são ótimos!Hikari é fantástico e Tsubasa é sensacional!Lost Canvas é só um caça-níqueis da série já que essa versão é uma alternativa da verdadeira que Kurumada criou no Next Dimension(e sinceramente parece novela)

    Curtir

    • Rick

      Olha, se é pra considerar Next Dimension como a verdadeira versão, tendo aquele roteiro profundo feito um lago na seca… fico com a versão “alternativa” mesmo, que é LC. Me entretém muito mais.

      Anyway, pros fanboys que defendem a ideia (totalmente estapafúrdia) de que Kurumada também roteiriza Lost Canvas e Episódio G, além de Next Dimension… sugiro a lida desse artigo aqui. http://taizen.net78.net/artigo_analise_nd_dimensoes_paralelas.htm

      Extenso, mas detalhado o bastante pra eliminar qualquer dúvida nesse sentido (se é que deveria existir alguma, o fato de que Kurumada só roteiriza Next Dimension – e deixa LC e EG a cargo de seus respectivos mangakás – é evidente há muito tempo).

      Se (ênfase no “SE”) Kurumada tem alguma participação mais ativa nas séries, fica só em dar o “OK” dele para o que é publicado.

      Curtir

  34. Pingback: Mangás on Average? #01: Ranma ½ | - Serk'QUEST | Criticas, Sugestões, Games, tudo que um Otaku, precisa… Ou não!

  35. GuilhermeLebowski

    No primeiro post tiveram vários títulos que eu gosto, agora nesse… Só os da Rumiko mesmo. Ao No Exorcist precisa se esforçar muito pra poder ser chamado de horrível.

    Curtir

  36. Nekomimi

    Outra autora que já desenhou shounen mangá (e que só lembrei há alguns dias) é a mangaka Wayu Suzumiya, cujas obras ainda são desconhecidas no Ocidente (se procurar no Google, vai achar alguma coisa da autora, incluindo algumas de suas obras). Pelo que se sabe, só uma de suas obras virou anime (e mesmo assim, uma minissérie de OVAs).

    Curtir

  37. lan

    Yumi hota e a melhor quero ver outra serie dela

    Curtir

  38. Sarah

    omg não acredito que não tinha comentado nesse post!

    e confesso aqui meu butthurt quando atribuem todo o sucesso de hikago ao obata, ou quando só dão créditos à arte dele quando falam do mangá. ele também teve uma grande participação na formação do mangá, mas principal e primária responsável foi a hotta! se vão mencionar apenas um dos autores, que seja ela!

    Curtir

  39. Que Ichigo 100% era de uma mulher, isso eu já sabia. Todos esses eu sabia. O que eu não sabia era do Kekkaishi.
    Realmente Kazue Kato, Rumiko Takahashi e CLAMP não podiam faltar!
    E o Yana Toboso?! É uma mulher, não?

    Curtir

  40. Nossa HikaGo encerrando com chave de ouro *–*
    Com certeza um dos melhores mangás que já li, onde também tem meu personagem favorito, Shindou Hikaru(Y’
    Acompanhei esse mangá quando estava saindo, era expectativa a cada semana xP
    Mas na verdade, sou fã mesmo do grande Obata-Sensei, desenhos super perfeitos!

    Matéria foi ótima, só faltou complementar outros mangás da Arakawa, como Hero Tales, que por mais que a historia original não é dela, foi uma super adaptação =)

    Curtir

  41. Leonardo Flores

    Ainda tem o maravilhoso Deadman Wonderland não é Dih ?

    Curtir

  42. adrianapene

    É muito bom saber que alguns dos animes que eu mais gosto foram feitos por mulheres eu fui muito obcecada por InuYasha, Hikaru no Go eu tenho tanto o anime como o mangá e D.Gray-Man amo esse anime e a minha maior revolta é quando não continuam o anime e deixam a sérir em aberto. Falo isso pois adoro o Shoujo Skip Beat que também não concluíram mesmo o mangá já estando passando do vol 30, eu fiquei em êxtase quando concluíram InuYasha pois isso iria matar muito Otaku do coração.

    Curtir

  43. Dan

    Não sei como fariam, mas fica a dica pra um post do Dia das Mães

    Curtir

  44. Faltou uma importante: Jinsei Kataoka, de Deadman Wonderland, que é Shounen/Seinen.

    Curtir

  45. Sogeking

    Analisando as duas listas:
    Full metal eh epico.
    Kekkaishi e O Mito de Arata eu li pouco mas gostei bastante.
    Reborn eh fraquissimo mas o traço eh bom.
    Enigma nao conheço.
    D. Gray Man eh mediano, a historia nao anda.
    Inu Yasha tbm eh lento mas muito melhor q D Gray Man pq agrada por todo o resto, o clima, os personagens, as situaçoes.
    Ichigo 100% tem um protagonista q realmene me da ns nervos mas eh um manga bem legal
    Lost canvas eh um otimo manga, soh axo q peca pq força a barra muitas vezes fazendo personagens nao morrerem msm em situaçoes totalmente absurdas ou criando muito historia e situaçoes desnecessarias para q aja um sentindo a mais nas lutas ale do duelo AthenaxHades
    Ao no exorcist eu nao vi/li e nem tenho vontade, pelo q me informei eh apenas mais um shonen generico destes recentes
    Tsubasa eh arrastado mas interessante, ainda lerei ateh o fim
    Hikaru no Go parece bom mas nao cheguei a ver ou ler, ainda darei uma chance.

    Tirando Hikaru no Go e Enigma q eu nem conhecia todos os outros eu sabia q sao de mulheres, as CLAMP tem tbm Angelic Layer e X por exemplo q tem muito de shonen. A Rumiko de todas pra mim eh a melhor, Inu Yasha eh muito bom, Ranma tbm tem muito de shonen, Maison Ikkoku eh uma comedia romantica perfeita e tem Urusei q eu vi soh os primeiros episodio mas ri bastante

    Curtir

  46. Ianne

    Faltou me lindo Pandora hearts *-* (Panini ouça nossas preces o/)

    Curtir

  47. Tumeo William

    Faltou a “ninja”, Shinobu Ohtaka, do Magi!

    Curtir

  48. Parabens pelo post! Indicarei para vários conhecidos que ainda acreditam que shojo é coisa pra mulher escrever e shonen pra homem. Sou a favor de que um bom autor sabe se adaptar ao estilo de mangá que quer escrever assim como um bom desenhista sabe adaptar o seu traço para condizer a intenção do mangá.

    Curtir

  49. Ciel

    faz uma postagem sobre ”Homem sabe fazer shoujo”
    >_>

    Curtir

  50. Po, Di, vc esqueceu de citar a Kazuya Minekura, autora de Saiyuki, uma das obras mais queridas e incríveis do mundo shonen. Infelizmente a série está em hiatus devido a doença grave que ela esta enfrentando, mas bem que ela merecia estar numa parte 3 bônus, hein? Ainda mais pra galera conhecer Saiyuki, que é TÃO BOM e ao mesmo tempo TÃO DESCONHECIDO no Brasil!

    Curtir

  51. so faltou a hiromu arakawa a melhor de todas.

    Curtir

  52. Pingback: Uma tirinha tosca, Elder Scrolls Online, curiosidades sobre Game of Thrones e mais links interessantes | Blog do Gusta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s